Bom dia!           Segunda 27/06/2022 11:43
Home > J. R. Guedes de Oliveira
O PIONEIRISMO DE JOÃO SCOTECCI
O PIONEIRISMO DE JOÃO SCORTECCI
 
                                        “O sertanejo é, antes de tudo, um forte”.
                                                 Euclides da Cunha, in “Os Sertões.


                                                                                                                                        Por J. R. Guedes de Oliveira*

           Uma vida, bem vivida, é exemplo gratificante de grandeza pessoal que, sem a menor sombra de dúvidas, serve de estímulos a muitos que ainda não se deram conta do muito que poderiam fazer pela humanidade. 
           Contudo, é necessário que se dê o primeiro passo e tenha a visão do que realmente deseja empreender. Para tal fim, há que acreditar no futuro promissor, com o peito destemido e a vontade de vencer pelos méritos pelo arregaçar das mangas – fatores preponderantes para construir um nome, uma organização.
           Ao chegar aos 40 anos de existência com centenas de publicações, espalhando a cultura, dando espaços para os novos autores, reunindo poetas, contistas, cronistas, romancistas, enfim, enorme plêiade de entusiastas, João Scortecci escreve, na história editorial do Brasil, um nome consagrado que merece todos os maiores e mais largos encômios 
           Numa síntese biográfica desse editor, podemos aquilatar a sua trajetória de vida e os caminhos que ele percorreu, sempre acreditando no potencial da literatura e, principalmente, nos novos autores que buscam o seu espaço. Só por esta linha de trabalho e dedicação, podemos dizer de sua consagração num país que ainda, infelizmente, a leitura é coisa rara e, pelo que ele dedica e acredita muito, haverá mudanças. Cremos também piamente. Eis, pois:
          Escritor, editor, gráfico e livreiro. Nasceu em Fortaleza, Ceará, em 1956. Veio para São Paulo em 1972, onde reside até hoje. Autor premiado (Prêmio do Sesquicentenário da Independência do Brasil e Prêmio Itajaí de Poesia) com 23 títulos publicados e mais de 40 edições. É Diretor Presidente do Grupo Editorial Scortecci, Presidente da Abigraf, Regional São Paulo, Membro do Conselho Eleito da CBL - Câmara Brasileira do Livro, Membro do Conselho Técnico Editorial do SNEL - Sindicato Nacional dos Editores de Livros, Editor do Portal Amigos do Livro e docente. Autor das obras: Relógio de Sol – coautoria; Papel Arroz – coautoria; Memória interior; A Morte e o Corpo; Água e Sal – Fragmentos de Tempo Algum; O Eu de Mim – Poema Ecológico; Na Linha do Cerol – Reminiscências Poéticas; Quase Tudo – Antologia Poética I; Guia Profissional do Livro; A Maçã que Guardo na Boca e Dos Cheiros de Tudo – Memórias do Olfato - entre outras. 

         A Editora Scortecci (Grupo Editorial Scortecci) é um exemplo vivo da dinâmica que o mundo livreiro vive nos tempos atuais. Esta dinâmica é vista pelas inovações por ela empreendida, mas que, na verdade, refletem o espírito de quem gosta, vive e se satisfaz em dar aos brasileiros de todos os quadrantes qualidade e beleza harmonioso do livro – fator indiscutível destes 40 anos da Scortecci.
            As plagas cearenses estão jubilosas de dar ao Brasil e ao mundo uma figura exponencial que nos brinda, volta e meia, com obras expressivas e contribue com a cultura literário do nosso país.
             Parabéns, João Scortecci, por acreditar no potencial de nossa gente e espalhar o livro, como diria Castro Alves: Oh! Bendito o que semeia Livros à mão cheia. E manda o povo pensar! O livro, caindo n'alma  É germe – que faz a palma, É chuva – que faz o mar!

J. R. Guedes de Oliveira, ensaísta, biógrafo e historiador