Boa tarde!           Sbado 22/06/2024 15:25
BIOGRAFIA JOÃO SCORTECCI

Escritor, editor, gráfico e livreiro. Nasceu em Fortaleza, Ceará, em 1956. Veio para São Paulo em 1972, onde reside até hoje. 

É Diretor-Presidente do Grupo Editorial Scortecci, desde 1982, Presidente da ABIGRAF, Regional São Paulo, Membro do Conselho Eleito da CBL - Câmara Brasileira do Livro, Membro do Conselho Técnico Editorial do SNEL - Sindicato Nacional dos Editores de Livros, Curador do Prêmio de Excelência Gráfica Luiz Metzler e blogueiro nos endereços: Blitz Literária, Livros & Autores, Amigos do Livro e Livros para Todos. 


ABIGRAF/SP - Gestão 2023-2025


João Scortecci, atual presidente ABIGRAF - Associação Brasileira da Indústria Gráfica, Regional São Paulo, foi reeleito para o cargo, junto com uma nova diretoria. A confirmação veio da sede da Abigraf – SP.

Em eleições com chapa única, a nova gestão segue à frente da entidade pelo triênio 2023-2025. O novo mandato se inicia em 1º de dezembro e a cerimônia oficial de posse acontece dia 8 de dezembro na FIESP. Também foram nomeados Reginaldo Damaceno, da FTD Educação Gráfica e Logística, como diretor institucional, e Wellington Rehder, da Gráfica Viena, como diretor de interiorização.
"Menino tipográfico e outras histórias" de João Scortecci

MENINO TIPOGRÁFICO E OUTRAS HISTÓRIAS

Scortecci Editora - Crônicas
14 x 21 cm - 248 páginas 2ª edição - 
ISBN 978-85-366-6243-5

João Scortecci é escritor, editor, gráfico e livreiro. Nasceu no Ceará em 1956. Veio para São Paulo em 1972, onde reside até hoje. Fez sua estreia literária no ano de 1973, com o poema “Mulher de Rua” na Revista POETAÇÃO, do centro acadêmico da FAU/USP.

É Autor de 24 títulos, mais de 40 edições, entre eles, o Guia profissional do livro, em coautoria, e A morte e o corpo, O eu de mim – poema ecológico, Na linha do cerol – reminiscências poéticas, Água e sal – fragmentos de tempo algum, Quase tudo, A maçã que guardo na boca – as estações de amora, As aventuras de Olga Wap e Dos cheiros de tudo – memórias do olfato.

Dos Cheiros de Tudo - Memórias do Olfato
É no dorso da nuca que encontramos os cheiros de tudo. No dorso fugidio da nuca - que se dobra - as vontades expostas do cheiro.Dos odores do olfato. Das propriedades e das essências no campo dos acolhidos. Das fragrâncias da pele. Das provocações e das alucinações dos arrepios da nuca entregues aos vícios do cheiro." João Scortecci

"A cartografia da memória oferece ao criador um manancial inesgotável de instâncias, um labirinto de galáxias que aponta para o infinito, para a vibração dos acasos e para a densidade da existência. Em seu novo livro, intitulado “Cheiros de Tudo”, o poeta João Scortecci explora as trilhas do universo aberto pelos sentidos e busca e logra construir, com fios de linhagem concisa e precisão alimentada pela visualidade do ritmo, um projeto poético de intensa sinestesia, fecundidade e arrebatamento. (...)" Beatriz Helena Ramos Amaral


O Legado de Johannes Gutenberg / Por João Scortecci
O inventor Johannes Gutenberg (Johannes Gensfleisch zur Laden zum Gutenberg) nasceu no dia 24 de junho (data simbólica escolhida na época do 500º. aniversário do “Festival de Gutenberg” no ano de 1900), entre os anos de 1394 e 1404, na cidade alemã de Mainz ou Mogúncia, às margens do Rio Reno, no coração da Alemanha. Era filho de um rico comerciante de nome Friele Gensfleisch zur Laden, que trabalhava como ourives na Casa da Moeda Eclesiástica Católica, e de Else Wyrich, sua segunda esposa, filha de um lojista da região. 

Interessado pelas ciências e pelas artes, Gutenberg gostava de ler e estudar e cultivava a “sina” de fabricar livros com o objetivo de barateá-los, possibilitando assim acesso e oportunidade para muitos. Gutenberg desenvolveu um sistema mecânico de tipos móveis, e sua invenção, que deu início à Revolução da Imprensa, contribuiu de forma decisiva para o sucesso da Reforma Protestante de Martinho Lutero e para a popularização do livro impresso no mundo. Foi eleito por jornalistas americanos e europeus “O homem do milênio”.
Dicas para quem pretende escrever um livro

QUAL O SEGREDO ?

Antes de pontuar dicas "pertinentes" obrigo-me a registrar o que me parece essencial e fundamental na vida de um autor: criatividade, talento e persistência. Sem sinergia e harmonia destes três elementos básicos, não vejo qualquer possibilidade de sucesso e êxito.

Lygia Fagundes Telles quando nos fala sobre a arte de escrever diz: “Rasgar, rasgar e rasgar. Eu rasguei muito.” Hoje, com o advento da ferramenta computador poderíamos dizer que o exercício de “Deletar, deletar e deletar...” explica com ciência e razão, aquilo que a dama da literatura brasileira nos ensina como segredo.

Vamos às dicas:

Ser um leitor. Um bom leitor. Um leitor voraz e criterioso. Se o objetivo é um romance concentre-se no gênero. Literatura brasileira e estrangeira, de autores conhecidos ou não. Faça buscas em sebos e bibliotecas, e você encontrará escritores que o aguardam. O livro chama! No exercício desta leitura observe com atenção o primeiro parágrafo da obra, como cada escritor começa a sua aventura, o trejeito com que ele trabalha os primeiros diálogos, planta a semente da trama e traça o fio condutor de sua história. É a hora do encantamento.

AS AVENTURAS DE OLGA WAP

João Scortecci é autor de três livros infantojuvenis, publicados nos anos 90. São eles: O Touro Ouro e sua Neta Mimosa, A Pulga Elétrica e a Realidade VirtualA História do Peixe Voador. Hoje livros esgotados e fora de catálogo, encontrados apenas em sebos.

Até 2016, ano que o autor completa 60 anos de idade, pretende reeditá-los, com novas ilustrações, agora coloridas.

O primeiro dos três a ganhar uma nova edição é A Pulga Elétrica e a Realidade Virtual. A obra ganhou um subtítulo: As Aventuras de Olga Wap e será publicada em três aventuras. 

Os Primórdios da Bienal do Livro de São Paulo


A primeira feira do livro em São Paulo, realizada pela CBL - Câmara Brasileira do Livro, data de agosto de 1951. O objetivo da entidade - além de promover o livro e fomentar o mercado editorial e gráfico brasileiro - era introduzir, no país, a tradição europeia das feiras de livros realizadas na França, na Alemanha e na Itália. 

Com o nome de “Feira Popular do Livro”, o evento aconteceu na Praça da República, região central da cidade de São Paulo. A experiência repetiu-se no ano de 1956, dessa vez no Viaduto do Chá, ponto ainda mais central da capital paulista e com maior fluxo de pedestres.

Em 1961, em parceria com o Museu de Arte de São Paulo – que até 1968 funcionou na Rua 7 de Abril - foi promovida a primeira “Bienal Internacional do Livro e das Artes Gráficas”, evento que se repetiu em 1963 e 1965, com apoio de editoras, livrarias e gráficas.

Em 1970 - de 15 a 30 de agosto - a Câmara Brasileira do Livro promoveu e realizou, de forma oficial e independente, no Pavilhão do Parque do Ibirapuera, a 1ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, marco na história da entidade e do mercado editorial brasileiro.

Pesquisando sobre a participação da indústria gráfica nas bienais do livro de São Paulo, entre 1963 e 1965, o que descobri remete à informação que parte das grandes editoras brasileiras até 1970 eram também empresas gráficas. 

Em 1996, a Bienal do Livro de São Paulo, passou a ser realizada nos pavilhões do Expo Center Norte, zona norte da capital paulista. O Ibirapuera havia ficado pequeno para abrigar o grande número de expositores e também o público leitor.
Ler mais
MENINO TIPOGRÁFICO - VOLUME 2

João Scortecci é escritor, editor, gráfico e livreiro. Nasceu no Ceará em 1956. 

Veio para São Paulo em 1972, onde reside até hoje. Fez sua estreia literária no ano de 1973, com o poema “Mulher de Rua” na Revista POETAÇÃO, do centro acadêmico da FAU/USP. É Autor de 24 títulos, mais de 40 edições, entre eles, o Guia profissional do livro, em coautoria, e A morte e o corpo, O eu de mim – poema ecológico, Na linha do cerol – reminiscências poéticas, Água e sal – fragmentos de tempo algum, Quase tudo, A maçã que guardo na boca – as estações de amora, As aventuras de Olga Wap, Dos cheiros de tudo – memórias do olfato e Menino tipográfico e outras histórias, volumes 1 e 2.

É Diretor-Presidente do Grupo Editorial Scortecci, desde 1982, Presidente da ABIGRAF, Regional São Paulo, Membro do Conselho Eleito da CBL - Câmara Brasileira do Livro, Membro do Conselho Técnico Editorial do SNEL - Sindicato Nacional dos Editores de Livros, Diretor da ABIGRAF, Nacional, Curador do Prêmio de Excelência Gráfica Luiz Metzler, Docente da Escola do Escritor e blogueiro nos endereços: Blitz Literária, Livros & Autores, Amigos do Livro e Livros para Todos.

SERVIÇO

MENINO TIPOGRÁFICO E OUTRAS HISTÓRIAS - VOLUME II

joão Scortecci  
Código: 978-85-366-6468-2
Scortecci Editora - Crônicas
Formato 14 x 21 cm - 1ª edição - 2023 - 236 páginas