Boa tarde!           Segunda 23/10/2017 15:21
Biografia

João Scortecci é escritor, editor, gráfico e livreiro.

Diretor Presidente do Grupo Editorial Scortecci desde 1982.

Nasceu em Fortaleza, Ceará, em 1956. Veio para São Paulo em 1972, onde reside até hoje.

Foi Conselheiro de Humanidades, da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) , Lei Rouanet, do Ministério da Cultura, de 1997 até 2006.

Foi diretor da União Brasileira de Escritores, em três gestões e Diretor Adjunto e Vice Presidente Administrativo e Financeiro da Câmara Brasileira do Livro, em três gestões.

Foi membro dos grupos empresarias GEDIGI e GEEDITORIAL da Abigraf - Associação Brasileira da Indústria Gráfica.

Fundador e Diretor-Presidente do Grupo Editorial Scortecci, Editor do Portal Amigos do Livro, Diretor do Espaço Scortecci, docente da Escola do Escritor, Diretor Editorial da Abigraf / SP e membro do Conselho Editorial da Revista Abigraf.

É coautor do livro Guia do Profissional do Livro - Informações importantes para quem quer escrever e publicar um livro, obra na 15ª Edição.

HISTÓRICO

Em 1972 foi o vencedor do Concurso do Sesquicentenário da Independência do Brasil – Melhor Frase.

                 “De uma espada ao alto nasceu o sonho da liberdade - Brasil”.

Em 1973, publicou a sua primeira poesia de nome “Mulher de Rua” na Revista Poetação (FAU-USP).

Em 1978, fundou e presidiu o Grupo Poeco, até março de 1982. O grupo, que teve participação marcante no final dos anos 70, publicou cinco antologias de nome “ENSAIOS” e realizou dezenas de atividades literárias e culturais em praças, bibliotecas, escolas, universidades e bienais do livro.

Em 1980, em coautoria, publicou os livros de poesia: Relógio de Sol e Papel Arroz.

Em 1982, ganhou o Prêmio Itajaí de Poesia, com o livro-poema “O Eu de Mim”.

Em 1982 publicou o seu primeiro livro individual, de nome “Memória Interior”.

Depois vieram os livros:

A Morte e o Corpo, O Eu de Mim (Poema Ecológico), Plurais, O Poema do Deus que Cria Versos, As Meninas e Outros Poemas, Água e Sal (Fragmentos de Tempo Algum), O Touro de Ouro e sua Neta Mimosa, A História do Peixe Voador, A Pulga Elétrica e a Realidade Virtual, Na Linha do Cerol (Reminiscências Poéticas), Quase Tudo e A Maçã que Guardo na Boca.

Em 13 de agosto de 1982 fundou a Scortecci Editora.

Em 1986 fundou a Gráfica Scortecci Digital.

Em 1998 lançou a sua primeira antologia poética, de nome “Quase Tudo”, uma reedição dos livros A Morte e o Corpo, O Eu de Mim e Água e Sal, em comemoração aos 25 anos de literatura.

Em 1999 fundou a Livraria e Loja Virtual Asabeça.

Em 2001 fundou o Portal Amigos do Livro.

Em 2003, ano que completou 30 anos de literatura, publicou a segunda edição da antologia “Quase Tudo” e a sexta edição do livro “Na Linha do Cerol”, em uma nova versão.

Em 2004, durante a XVIII Bienal Internacional do Livro de São Paulo, lançou em parceria com a IBM do Brasil, uma edição especial da obra “Na Linha do Cerol – Reminiscências Poéticas”.

Em 2004, em coautoria com Maria Esther Mendes Perfetti, lançou o Guia do Profissional do Livro - Informações importantes para quem quer escrever e publicar um livro, já na 15ª edição.

Em 2004, em parceria com Maria Esther Mendes Perfetti, fundou a Escola do Escritor. Hoje empresa do Grupo Editorial Scortecci.

Em 2006, o Portal Concursos e Prêmios Literários.

Em 2007, a TV Livro.

Em 2008 iniciou a parceria institucional com a Canon do Brasil.

Em 2010 abriu o selo editorial infantil "Pingo de Letra".

Em 2014 inaugurou em São Paulo, Capital, o Espaço Scortecci.

Em 2014 lançou o livro A Maçã que Guardo na Boca, no evento de inauguração do Espaço Scortecci.

Em 2015 lançou o livro infanto-juvenil As Aventuras de Olga Wap, no evento de aniversário de 33 anos da Scortecci.

Em 2016 lançou o selo editorial QUADRINHOS e o Portal Bike Notícias.

Em 2017 lançou as plataformas PRINT ON DEMAND, serviço para editoras e distribuidoras de livro e FÁBRICA DE LIVROS, serviço de autopublicação para autores.


PRÊMIOS LITERÁRIOS DA SCORTECCI

Ao longo de sua existência, a Scortecci foi laureada com o Prêmio Jabuti, em 1986, Categoria Poesia, prêmio outorgado pela Câmara Brasileira do Livro, com a obra Canteiro de Obras da escritora Ilka Brunhilde Laurito.

Foi ainda finalista do Prêmio Jabuti, por mais seis vezes, com as obras: E Vou e Vamos Águas Emendadas (1998), de Izacyl Guimarães Ferreira, Compasso Binário (1999), de Geraldo Pinto Rodrigues, Um Homem e suas Sombras (2002), de Samuel Penido, Cheiro de Terra - Contos Fazendeiros (2008), de Lucília Junqueira de Almeida Prado, Sagração do Alfabeto (2009) de Leonor Scliar-Cabral e Pimenta Neves - Uma Reportagem (2014), de Luiz Octavio de Lima.

Pela APCA - Associação Paulista dos Críticos de Arte recebeu os seguintes prêmios: Melhor Livro do Ano (1992), com a obra O Tecedor e sua Trama do escritor Francisco de Oliveira Carvalho e Autor Revelação (1990), com a obra Memorial de Inverno, do poeta Paulo Sampaio.

Em 2007, Idalina Azevedo da Silva ganhou o Prêmio Machado de Assis da Fundação Biblioteca Nacional, categoria romance, com a obra "O Tempo Físico".

Em 2008, Izacyl Guimarães Ferreira, com a obra Discurso Urbano ganhou o Prêmio ABL de Poesia de 2007, Melhor Livro.